14 de ago de 2009

Entrevista com Mortão [VMG]

Muitos, após a criação da mixtape (Inicio de uma nova era) pediram mais músicas do Mortão, e queriam conhecer mais a respeito do mesmo. Então, segue aí uma pequena entrevista com o fundador da banca VMG e alguns sons para download.



Entrevista:

Vanguarda - Nos fale um pouco sobre a banca VMG? Você é o líder da banca, né?

Mortão - A banca VMG(Vagabundagem Mil Grau) surgiu em meados de 2005, onde eu cheguei na rua convocando geral que se identificava com os meus princípios, resultado, consegui juntar um monte de maluco querendo representar o rap goiano, hoje isso abrange o estado de Goiás, em todos estados do Brasil nego já se auto-intitula VMG, isso pra mim é tudo.
Eu fundei a banca VMG, mas nem me sinto patrão, ou acho que posso mandar e desmandar sem ouvir quem ta comigo, ta ligado?! Não sou melhor nem maior que nenhum dos meus amigos.

Vanguarda - Nos fale um pouco sobre o seu novo projeto?

Mortão - Todo dia eu crio um novo projeto..haha..Atualmente tenho gravado músicas específicas pra Mixtapes, como a Álcool-Tário por exemplo, são sons exclusivos de coletâneas.
Tenho meu projeto com o Domba, o Outro Nível, um Rap Futurista e Rimático;
Tenho meu projeto do CD Solo de Rap, pro início do ano que vem, venho componho há 3 anos, só pérolas, meus melhores beats, minhas melhores idéias, meus melhores versos;
Tenho meu projeto de Reggae/Ragga/Dub/Dancehall que vem ano que vem também, junto com participações de peso dessa cena, e inclusões de bandas e instrumentos nativos da áfrica.

Vanguarda - Quais suas influências dentro e fora da música?

Mortão - Principalmente meus amigos e minha vida (minha cultura, meus estudos, etc)
Sou bem chato com música, dificilmente eu gosto de tudo que um artista faz, nem as minhas eu gosto de todas, dentro do rap eu admiro caras como GOG, Gutierrez, Black Alien, Rael da Rima, Sandrão, Aori, Shawlin, EZN, Mahal, Suave, uns maluco assim, escuto muito reggae, ragga, ska, new metal, dub, muito rap gringo underground também, essas parada costumam me influenciar musicalmente.

Vanguarda - Qual o maior defeito e qualidade do RAP na sua visão? E como você analisa o atual cenário do Rap nacional?

Mortão - O maior defeito e qualidade, não só do rap, como da vida, é o Dinheiro, você pode morrer por não ter, como você também pode morrer só por ter demais, ta ligado?!
Geral trabalha todo dia, as vezes numa parada que odeia, só pra receber um qualquer, passa a vida toda com esse “defeito” de trampar no que odeia, pra ter uma “qualidade” de vida.

O rap é pobre, mas todos querem enriquecer com ele, ao mesmo tempo se você não tem dinheiro pra investir no rap, fica praticamente impossível de se ter esse retorno, é igual o esquema da Aposentadoria, investimento a vida toda pra no fim receber algo em troca.
O cenário atual ta meio deturpado, muitos maluco frustrado tentando crescer de qualquer maneira. Acho que cada um tem que explorar o máximo que puder dentro daquilo que acredita ser o melhor pra ele mesmo, sem desviar só porque o lil wayne ou o kanye west fizeram igual. Mas nem tenho preconceito, escuto primeiro, se ficar bom, ouço direto.
Foda-se estilos.

Vanguarda - Você recebe algumas criticas por fazer um som mais “alegre”, como você analisa isso? Você acha que o publico do RAP está muito preso a determinadas situações,, como só falar de violência?

Mortão - Certos grupos antigos pregaram muito essa regra no rap, eu nunca respeitei regra nenhuma, isso foi uma das paradas que me fez entrar no rap, não precisava saber cantar, hoje já penso um pouco diferente, mas enfim, Críticas eu sei que sempre vou receber, independente do estilo que eu fizer, o que me resta é ser real, não posso ficar fingindo pra agradar quem odeia sorrir, ta ligado?! Tenho personalidade forte, faço tudo do jeito que eu quero, respeito todos caras que ajudam o Hip Hop, creio que poucos gostam tanto dessa porra como eu, nada me fez ou faz parar, e é como eu disse “foda-se o estilo”, o público precisa ser real consigo mesmo, analisar a música, independente do estilo, e dar o veredicto, BOA ou RUIM. Cada um fala do que quiser, arrisquem.
Nem todos meus raps são alegres, como nem todos meus momentos são.

Vanguarda - No som “Aliança de compromisso” você cita: “...Toda escada é mais difícil na subida...” Devido a todas as dificuldades que o rap enfrenta e algumas causadas por ele próprio, onde seria o topo dessa escada em sua visão?

Mortão - É a meta, o objetivo que cada um estipula pra si mesmo quando decide entrar de cabeça no seu projeto de vida. Independente de dinheiro, fama, glamour, aquilo que preenche a lacuna da utilidade.

Vanguarda - Em outro som que você faz uma parceria, você cita “Não entendeu, né? Vou ser mais especifico, nesse mundo de guerra só o oceano é pacifico”, com isso, o que você acha que falta para vivermos em um país menos violento?

Mortão - Mudança de valores, quando o dinheiro não for a prioridade, tudo muda, ou acaba.
Dinheiro gera Canibalismo.

Vanguarda - Ficar rebatendo agressões advindas de indiretas ou não em seu som (Provando superioridade), não serviria exatamente para divulgar ou fortalecer ainda mais o agressor? Em contrapartida você não corre o risco de ter seu som confundido com “modinha” já que é tão fácil criticar algo que a maioria não gosta, “bater em cachorro morto”?

Mortão - Talvez possa divulgar, mas fortalecer, com aquelas denúncias feitas na letra, impossível.
Só denigre, são verdades expostas, faz as pessoas pensarem no que estão ouvindo, vários ícones da história que fizeram várias cagadas, são conhecidos mais do que outros considerados heróis, mas são conhecidos pelas cagadas, isso não é bom, saca? Citar o nome do inimigo é normal, tipo Propaganda Política. O povo precisa saber minhas opiniões pra saber se amam ou odeiam.
Acho que ninguém confunde, ninguém vira “modinha” por esculachar o cabal, é algo normal no Rap Nacional, como se fosse Lei, o Rap ainda não aceita homossexuais, o 50 Cent tem mais de 1 bilhão de inimigos que mandam diss pra ele, e continua sendo “modinha” é ele, não os maluco.

Vanguarda - Espaço totalmente aberto, fique a vontade.

Mortão - Obrigado, já tava a vontade desde o início..hahaha, Tamo junto geral que fez com que essa entrevista acontecesse, as oportunidades que vem surgindo através dos mesmos, a Banca VMG é uma união de Rap que ta aí pra somar com os verdadeiros, sem rótulos ou marras, continuem escutando quem já conhece, divulguem, só assim vamos crescer.
Acessem diariamente meus trabalhos: www.myspace.com/MorTaoVMG www.twitter.com/MorTaoVMG me adicionem onde for, conversem, me encham o saco, vamos trabalhar sem nunca deixar nossa “Vagabundagem Mil Grau” de lado, a vida é assim.
Abraços a todos meus amigos da VMG ou não..sem vocês eu fico mais fudido ainda.


Assista o novo vídeo (Ja divulgado aqui na VdRN) lançado por MorTão da música ÁLCOOL-TRÁRIO:



Músicas para download:

Aliança de compromisso

Provando superioridade - Outro nivel - VMG (DISS CABAL)

Mais músicas AQUI.

Comunidade da VMG

Comunidade do Mortão