3 de jun de 2009

Sob Suas Ruas - Goiânia Gângsta (Feat : Domba VMG) - LANÇAMENTO



A Vanguarda está divulgando simultaneamente com outros meios a divulgação do mais novo som do Goiânia Gângsta, com participação de Domba, da banca VMG.Um excelente som.

Palavras de Relry do GG, sobre este som;

"Sob Suas Ruas" , é um som um pouco diferente do que o próprio Goiânia Gangsta e a banca VMG em si costumam fazer,geralmente os sons feitos pela minha pessoa abordam um tema especifico e faz com que esse mesmo tema seja em tal som rodeado de provocações e um tanto de sarcasmo (sem perder o compromisso,claro ).Por outro lado a banca VMG sempre ou na maioria das vezes vem com uma pegada mais "elétrica" e bastante forte, algumas vezes chegam sempre ao extremo(seja na *psicopatisse ..seja na forma regional e sarcástica de *narrar). Esse som, composto por eu e Domba, ora busca mostrar um pouco do talento em forma de musica na levada ( e no flow ) de ambos e ora busca um lado um tanto quanto *social e *controverso da coisa. "Domba: no frio o corpo ignora a dor / a rua é nossa mas não quer que ninguém vire morador" ... "Relry : gangsta não é ser burro , ter grana ou morrer de AIDS / veja o tanto que sofrem os caras que mofam atrás das grades".A produção ficou por conta de "Mortão".Um cara que começou não á muito tempo nesse ramo mas que já se destaca com êxito entre os melhores do estado,essa musica é uma das que figuram a track list do cd do "Nova Era Attack – Goânia Gangsta" track list essa que logo na divulgação da polemica "PROVIONCIA 3" será divulgada na integra(cd *previsto para dezembro/2009).E esse com certeza é mais um som feito com atenção e dedicação tanto por parte da VMG quanto da T.N.T (Minha banca, cujo representa Trama dos Nobres Terroristas) e que tem tudo para somar aos ótimos trabalhos que pouco a pouco colocam o estado de Goiás na lista dos destaques *emergentes do rap nacional.

Paz!

Segue o Link para baixar:

http://www.4shared.com/file/108862815/5e09d104/reLrydomba.html

E a letra do som:

Jogando o jogo da vida largando o flow na batida /
Enquanto os falsos vão caindo e virando escada na minha subida /
Eu kero paz mas enxergo bem a realidade /
Tô sagaz entre um mundo de cobras e falsidade /
Sobrevivendo ao caos , permanecendo real /
A verdade é que o bem nem sempre sai vencendo o mal /
Já sabendo do final assisto a previsões reais /
Minha realidade é cruel e meus versos são racionais /
Unindo universos astrais num misto de dor e alegria /
Me despeço da frieza e invisto amor na poesia /
Jornal noticia retrata mas não faz critica quente /
Já sei que a policia mata e que a política mente /
Eu sei e você sabe mais não muda em nada /
Os “homi” espancam ..não é atôa que a perifa ta kebrada /
Vejo vidas arruinadas jogadas pela calçada /
Na madrugada gelada com a mente sequelada alucinada /
No frio o corpo ignora a dor /
A rua é nossa mas não ké que ninguém vire morador /
Como rimador minha missão não é so protesto /
Enxergo a realidade ..a visão que eu detesto ! /


O mundo é louco violento o sangue inocente parece que chora /
não fico de braços cruzados mas sei que a qualquer hora /
posso bater com o perigo escute o que digo não posso errar /
a lei antiga vigora “decepa” a cabeça do lado de cá /
cuidado chegado de boa aqui na favela nada é de graça /
comandante batida no peito implantou um suspeito “cê” virou caça /
a fome dos “moleque’ não amolece a *pedra /
de posse da farda e da arma tem passa fome que te entrega /
a lei do mais forte impera a nova era é compromisso /
mesclando a razão com som e foda-se o submisso /
não vejo perigo no hospício nem *oficio no sacrifício /
grande precipício as vezes é o orgulho /
que sopra do lado esquerdo parece o capeta fazendo barulho /
o que “cê” guarda de entulho na porta do coração?! /
esqueça do rap e de mim jogue no lixo meu som de “drão”! /
as vezes é *preferível ser o que Deus quiser /
se não for pra ser rapper não force a sua fé /
gangsta não é ser burro ter grana e morrer de Aids /
veja o tanto que sofre os cara que mofam atrás das grades /
cuidado que tu planta mais tarde vai colher /
arma, bunda, droga ...cê fala de rap ,cê fala de que ??? /
cuidado camarada sou velha escola eu to na área /
sei que muitos não prestam mas minha moral é rara /
não preciso da tragédia pra poder fazer meu rap /
as vezes leio um bom livro até “viajo” e fumo um bék /
mas tudo pelo prazer de contemplar a filosofia /
muitos se espelham na minha ideologia /
mas péço por favor não se preocupem comigo /
sei que um dia eu chego doutorado no perigo /
não que seja vantagem , nem foi por vaidade /
olho por olho pipoco e sangue a muito foi minha verdade /
mas péço redenção pro mano da favela /
pros pobres “gente-boa” , pro barracos a luz de velas /
sem seqüela com o sorriso e o sofrimento a me guiar /
sei que um dia eu chego ..pode apostar !

Sob Suas Ruas.