26 de mar de 2013

Baixe o single "2 Muleke" do rapper Loko do Cerrado

O rapper do DF, Loko do Cerradolançou hoje seu novo single intitulado 2 Muleke. O single tem a produção do Dj Cal, e traz a mensagem de que "as causas da violência vão mais além da diferença entre classes sociais..."
"2 vidas, 2 origens, a mesma mágoa e um só destino, sem motivos pra sorrir e sem vontade de viver, o single "2 Muleke" narra duas estórias que se encontram no final misturando o luxo e o lixo."

CRIANÇA QUE NÃO "SORRI" VIRA "MONSTRO"!
Loko do Cerrado



CLIQUE NA IMAGEM PARA BAIXAR O SINGLE "2 MULEQUE"


2 Muleke - Loko do Cerrado - Letra

1ª Parte (menino rico)

Nascido e criado, no luxo, o menino tinha de tudo,
Pra ter um brilhante futuro, é só ter grana e estudo,
Pai muito rico e ausente, Mãe que só dava presente,
Família indiferente, "toma essa grana e não enche",

Pai sem coração, que só pensava em encher o bolso,
Não tinha irmãos, pra mãe não estragar o corpo,
Quando queria atenção, era deixado de lado,
Crescendo na escuridão, um moleque atormentado,

Não sabia o que era amor, convivia com a dor,
Sofrimento interior, fez sua vida um terror, transformou,
O menino calado, em um cara apagado,
Sem amigos, família do lado, sempre isolado,

Vida sem graça, a dor aumenta e não passa,
Pra mente atribulada, grana não serve pra nada, 
Preferia morrer, do que viver só por viver,
Pra sorrir precisava sentir, o coração bater!

Refrão (2x):

O moleque só queria ter motivos pra sorrir,
Não queria crescer, tinha medo de viver,
Cresceu sem sorrir, e a vontade é de sumir,
Tá pronto pra morrer, não tem nada a perder.

2ª Parte (menino pobre)

Nascido e criado no lixo, filho de um pai omisso,
O menino não era bicho, só que não sabia disso,
Mãe catadora de dia, que de noite se vendia,
Pele e osso nem comia, morreu de pneumonia,

O moleque ficou só, tipo um cão abandonado,
A rua não tem dó, fez mais um louco revoltado,
Solitário sem futuro, fim do túnel tudo escuro,
No apuro, o imaturo fica com o coração duro,

Aí o ódio dominou, sua alma ele roubou,
Sua vida se apagou, sem amor, só rancor, transformou 
O moleque abandonado, em um monstro armado,
Indomado, alucinado, com ódio do passado,

Louco sem medo de nada, sempre com a mente lombrada,
Pra comer ele traficava, perdido na madrugada,
Porque e pra quê viver, se o destino é sofrer,
Pra sorrir precisava sentir, o coração bater!

Refrão (2x):

O moleque só queria ter motivos pra sorrir,
Não queria crescer, tinha medo de viver,
Cresceu sem sorrir, e a vontade de sumir,
Tá pronto pra morrer, não tem nada a perder. 

3ª Parte (fim)

Um saiu da mansão, no meio da escuridão,
Na rua sem direção, na mente decepção,
Queria acabar com tudo, gastar a grana que tinha,
Evaziar a cabeça e encher de pedra e farinha,

O outro na rua de novo, lá na 'esquina dos loko',
Querendo grana, nervoso, num corre cabuloso, 
Aquele bicho do lixo hoje sobrevive do vício,
Ofício vitalício, que não tem fim, só início,

O fogo queimava a lata enquanto a morte virava fumaça,
E iluminava o rosto daqueles que sofrem porque a fissura não passa,
O do lixo parado na esquina, o do luxo vindo na manha,
Um tava cheio de pedra e o outro cheio da grana,

Os dois ali, frente a frente, na esquina da loucura,
Do nada 3 viaturas, um põe a mão na cintura,
Eles não querem conversar, metem bala pra matar,
Foi a morte quem trouxe a paz que os dois queriam encontrar.


Contato:
Twitter: @LokoDoCerrado
Facebook: http://www.facebook.com/lokodocerrado
Bandcamp: http://eskemaloko.bandcamp.com
Soundcloud: https://soundcloud.com/lokodocerrado
E-mail/GTalk: contato@lokodocerrado.com.br