2 de fev de 2011

Lindomar 3L inicia oficinas de RAP em São Paulo.

Com a experiência obtida em Uberaba, o rapper conquista espaço em São Paulo e inicia oficinas em 18 unidades da antiga Febem

“Ei Tio ! Em busca de um sonho eu vim para cá (...) Eu só volto quando ele se realizar (...) o meu espaço eu sei que vou conquistar (...)”

Lindomar 3L durante oficina realizada em Uberaba-MG


Esse trecho do single mais recente do rapper mineiro Lindomar 3L, com produção do Dj Sinistro profetizou o que o músico está buscando: realizar as metas que ele próprio estabeleceu para a própria vida.
Sonhador, Lindomar abandonou, não sem se entristecer, as aulas de rap que dava no projeto Fique Vivo, mantido pelo governo do Estado na cidade de Uberaba, onde viveu toda a infância e morou até o final do ano de 2010.
A vitória veio mais rápido do que ele imaginaria e em pouco mais de um mês vivendo na capital paulista, tornou-se um dos oficineiros de rap nas unidades da Fundação Casa (antiga Febem), numa parceria com a Organização Não Governamental (Ong) Ação Educativa.
Em poucos dias de trabalho já visitou as unidades Fazenda do Carmo e Casa Guaianzes, mas ainda deve percorrer, até o mês de março, outras 16 unidades que abrigam menores infratores.
Para o rapper, este é um momento único, tanto na carreira musical como na vida pessoal. “ Fiquei triste quando tive que deixar minhas oficinas em Uberaba, porque eu já trabalhava com isso antes de trabalhar efetivamente com rap e agora, poder sair de uma cidade do interior, morar em São Paulo e ser convidado para oficinas é um grande passo na minha carreira, na minha vida, estou muito feliz”, conta.
Na cidade em que vivia, Lupa MC, que também já foi MC de apoio de Lindomar e um dos jovens que participaram do projeto C.A.E.M. assumiu as oficinas na cidade mineira.

Trajetória:

Lindomar começou a profissão de oficineiro de rap em 2003, na Casa do Hip-Hop de Uberaba, localizada na periferia da cidade. Na época, o MC era voluntário no trabalho e se orgulha por ter relevado talentos como os MCs Tói e Gugu, além de Jonas, que hoje é produtor musical.
No ano seguinte, com o fechamento da casa, Lindomar fundou, de forma independente, o projeto C.A.E.M (Cultura, Arte e Educação em Movimento) na “Vila Esperança”, região periférica onde vivia, considerada uma das mais carentes e violentas de Uberaba, também conhecida como “Vila do Quiabo”.
O projeto atraia jovens de todas regiões do município e contou, em 2006, com a presença do rapper Aliado G, do grupo Face da Morte, por meio da Fundação Cultural de Uberaba. Na ocasião, ele fez uma palestra sobre o movimento hip-hop e contou com aplausos de toda comunidade local.
Tal projeto existiu até 2006 e ainda revelou outros jovens que são promessas de talento na terra mineira, como Lupa, Dunga, Muguinha, Dj Blayd, entre outros.
No mesmo ano, Lindomar tornou-se oficineiro do projeto “SR Mulher”, que trabalhava diretamente com as vítimas de violência doméstica. Atuou ainda no projeto “Semear Hip-Hop”, que atendia uma demanda de jovens do programa “Liberdade Assistida” da Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais.
No entanto, foi em 2009 que entrou em parceria com o Governo no projeto “Fica Vivo” onde ficou até o último ano.
Agora, o rapper dedica-se às produções musicais em terras paulistanas e as oficinas na Fundação Casa. Encara tudo como um desafio, mas, encontra disposição em meio as dificuldades e prepara-se para shows, participações em programas e gravação de músicas, bem como a promessa do clipe “Boêmio Vagabundo” que deve ser filmado ainda este semestre.

Serviço – Mais informações sobre o rapper Lindomar 3L podem ser vistas no site oficial www.lindomar3l.com.br