12 de dez de 2009

Indicação - Luzia-Homem, de Domingos Olímpio



Publicado em 1903 e considerado um clássico do gênero Ciclo das Secas, da Literatura Nordestina, Luzia-Homem é um exemplo do Naturalismo regionalista. Marcado pela fala característica dos personagens, Luzia-Homem mantém duas características clássicas do Naturalismo por toda obra: o cientificismo na linguagem do narrador e o determinismo (teoria de que o homem é definido pelo meio). A obra também se vincula ao realismo sertanejo, - que alguns chamam de regionalismo - apresentando com tintas carregadas o flagelo da seca em sua região, ao mesmo tempo que enfoca a força física e moral da sertaneja Luzia, criatura intermediária entre dois sexos, o corpo quase másculo numa alma feminina.


A obra tematiza a violência e o sadismo que florescem como literatura naturalista. Há nuances de Romantismo na morosidade da descrição das paisagens, onde a natureza, às vezes, é madrasta principalmente por causa da seca. Explora a duplicidade da personagem principal, ela é bonita, gentil e retirante da seca, mas também tem força descomunal. No romance, Luzia integra um grupo de retirantes, e sua figura forte e personalidade marcante logo atrai a atenção dos homens que disputam o amor da heroína.

É livro ótimo já que o Naturalismo como estilo se dispoe a mostrar as coisas como elas realmente são. E dar enfoque aos aspectos positivos, que no final é o que mais pesa. Livro clássico, que faz ou fazia parte da Cesta Básica de Leitura de escolas estaduais. Fácil de encontrar em bibliotecas públicas e na internet.E quem quiser comprar pode ir a 'sebos' ou sites de troca.
Está inclusive no Portal Dominio Público.

Neste site você pode baixar diversos livros grátis que já estão no assim chamado domínio público: ou assim foram disponibilizados por seus autores ou cujos autores já morreram há mais de 70 anos.