28 de jul de 2009

Entrevista com Bulldog Fantazma



Ficamos algum tempo sem entrevistas pelo empenho que tivemos perante a mix. Mas hoje estamos voltando e como prometido entrevistando o insano e de certa forma "polêmico", BULLDOG FANTAZMA. E contamos nessa entrevista com a participação de um seguidor do trabalho do entrevistado, e membro da familia VdRN, Douglaz, que nos ajudou na criação de algumas perguntas.

"Salve Vanguarda mais uma vez estou aqui pra fazer com que as pessoas entendam o que o Bulldog Fantazma faz e fala... obrigado pelo suporte" (Bulldog Fantazma).

Vanguarda - Nos fale um pouco sobre os seus projetos e sobre o Bulldog Fantazma?

Bulldog fantazma: Lancei meu álbum Livro de aparições vol.2, fechei meu álbum que será vendido para todo Brasil chamado (TRIBULAÇÕES), esta finalizado, faixas inéditas produções próprias da V2F Máfia varias participações, só estou esperando a hora certa pra lança-lo isso faz parte do “jogo”. Agora estou em estúdio trabalhando firme no meu projeto com meu parceiro Smorf chamado “Ladu Ceggo”, Ladu Ceggo busca fazer com que o rap nacional saia dessa fita estagnada. Vocais insanos, letras provocantes, fúria, ira, raiva, com uma pitada de consciência e muita inconsciência. Por enquanto é isso, mas vocês sempre vão poder conferir a parceria do Bulldog Fantazma com outros rappers, pois isso sempre acontece.

Vanguarda - O publico entende a forma de você se expressar? Isso te preocupa?

Bulldog Fantazma: Entender o que eu digo é claro que as pessoas entendem, porém não compreendem da forma exata. A minha diferença para a maioria dos outros rappers, é que eu tenho um publico especifico, as pessoas que são fiéis ao meu som não se preocupam se um dia eu aparecer fumando um baseado ou cheirando um pó com a pistola na mão, porque a maioria das pessoas que escutam o meu som escutam coisas diferentes, coisas que pessoas que por exemplo escutam o senhor tempo bom não escutam, a maioria do publico do Rap Nacional se acostumou em escutar as alegrias os lamentos e as frustrações dos artistas sempre com a mesma pegada, eu estou aqui pra mudar um pouco isso tudo. CHEGA UMA HORA QUE CANSA OUVIR SEMPRE A MESMA PARAFERNALIA.

Vanguarda - Em relação ao estilo 'horrorcore' você faz musicas com um certo tom de pregação satanicas mesmo ela sendo só puro entretenimento (Como já foi dito por você em outra entrevista), mas mesmo sendo ela só por pura diversão ela faz essas pregações, você também faz sons que tem um certo tom 'gospel' também, isso não é contradição no seu ponto de vista?

Bulldog Fantazma: Não considero nada do entretenimento que eu faço como diversão, eu tenho noção que é muito perigoso falar coisas da maneira que eu falo, pois muitas das pessoas não conseguem diferenciar o entretenimento da vida real, e acabam colocando em pratica o que escutam, considero o que eu faço um passa tempo pra pessoas que não costumam viver da forma que é imposto, eu gosto de ir de contra tudo que o homem diz que é correto, porque o certo e o errado ninguém sabe o que é, pois todos pensamos de uma forma, algo que eu ache bom pra mim você pode achar ruim pra você isso é relativo, (UM MOMENTO ESTOU ESCUTANDO VOZES...) quanto ao Gospel, eu passei por turbulências a um tempo atraz alias até hoje passo, e nesse momento da minha vida conheci pessoas do meio gospel, e por eu ser um cara versátil, não só na musica mas em tudo que faço na minha vida eu participei com alguns deles e fiz algumas musicas com um tom mais consciente e isso só serviu pra eu poder aprender mais e mais. Mas é o seguinte se hoje eu estiver amando e me der na telha de falar de amor eu vou falar, se do nada eu ficar com raiva e ódio do mundo eu vou falar q estou pensando em matar e se tiver q ser um pecador nato eu vou ser, acima de tudo eu sou musico, e o rap é um estilo em q você precisa ser muito verdadeiro, eu escrevo de acordo com meu estado de espiríto, assim eu posso também alcançar todos os tipos de ouvintes sendo eu mesmo um cidadão bi polar desde os 13 anos de idade. Então se eu quiser falar de Deus eu falo e se eu quiser andar com o capeta eu ando também é o livre arbítrio. Não existem limites, eu não sigo regras, hoje eu te ajudo, amanhã te cuspo, hoje te chamo de amigo, amanhã risco mais um da minha lista de inimigos. Rest in piss...

Vanguarda - Em uma entrevista sua, vimos uma resposta sobre o rap nacional, claro sobre os grandes e não os desconhecidos você da a seguinte resposta:

'Bulldog Fantazma: Tirando pessoas q ainda não tiveram a oportunidade de explodir com tudo o rap nacional pra mim é FRACO. Me desculpem senhores rappers de estações de radio hahahaha.

Você acha que grandes nomes como Facção Central, Realidade Cruel, A286, Inquerito e outros grupos 'grandes' e fortes em seus 'protesto conscientizadores' são fracos? E o que o Rap precisa pra se tornar “forte”?


Bulldog Fantazma: Boa pergunta... Essa eu gostei de verdade, vou fazer o possível pra responder de uma maneira clara para que todos possam entender. Eu já disse, eu não costumo citar nomes, mas já que vocês citaram alguns nomes eu vou falar... bom pra começar o Inquérito e A286 eu nunca ouvi o som, vou procurar pesquisar sobre eles, quanto ao Facção e ao Realidade Cruel, eu já ouvi, alias isso eu conheci quando eles começaram, já troquei idéias e tudo mais com alguns deles, é nítido nos sons do Facção o que eles escutam e tem como influencia, a pegada do F.C e do R.C são pesadas contundentes, não os acho fraco, muito pelo contrario, porém não sigo essa linha de sempre colocar ou citar o governo em musicas, porque na verdade eu to pouco me fo***** pro governo, o mundo que eu vivo é diferente, eu tenho 28 anos de idade e nunca votei, que se fo**, eu não entendo de política que se fo**, Quando usei o termo fraco, eu quis dizer que é fraco em comparação aos gringos dos U.S.A, ai vão dizer pra mim, CLARO NÃO TEM COMPARAÇÃO, e eu pergunto porque não? Os rappers da França, Alemanha, Russos até mesmo da Argentina México e Espanha, fazem rap bom sem ter q ficar na mesma dizendo que a policia invade barraco, que o nego é drama, que o boy ta de carrão e eu to a pé, ( pobreza existe em todos os cantos), então é algo clichê, existem milhões de maneiras de você fazer um bom rap até mesmo abordando tais temas porém de uma maneira diferente, sarcásticas, com vocais diferenciados tacando o fod****, escuto grupos nacionais e conheço muitos deles, porém minha pegada é outra, não é a melhor, é simplesmente muito diferente. O povo brasileiro me critica se eu fizer uma musica falando q mulher é tudo puta q é da hora fumar um baseado e ficar bêbado, mas acham legal ver um rapper gringo fumando maconha, fazendo símbolos com a mão, falando de gangs, de matar ou morrer, PORQUE EU NÃO POSSO FAZER ? se eu vivo em uma zona de perigo e vivo assim eu faço mesmo e que se exploda, gangsta shit até que me calem com um tiro na boca, e tem mais, muitos acham legal ver um filme onde os marginais são astros nos filmes, onde tem enterro de monte e malandros com a cara tatuada mas se algum brasileiro faz, os críticos de merda dizem que é lixo, que não presta, muito cara critica mas quando chega em casa do trabalho coloca no talo tudo aquilo que eles dizem em suas letras serem contra., RAP BOM PRA MIM É RAP DE GENTE QUE TEM PROBLEMA ESPIRITUAL, MENTAL OU VIVE CERCADO DE TRAUMAS, esse é o rap bom “PRA MIM”. DE SANTO E BONS SAMARITANOS O INFERNO TA CHEIO.E eu nunca vou pagar pra tocar em rádios, NUNCA, acho q isso além de exploração, é uma total falta de auto confiança do rapper q paga pra tocar em rádios, quer tocar meu som, firmeza agradecido, não quer? MORRA.

Vanguarda - Qual sua visão sobre o horrrorcore nacional? Porque é tão mal divulgado e ainda sofre um preconceito tremendo para os que conhecem pouco sobre tal estilo, tipo a maioria das pessoas não aceitam o genero musical, mas curtem um filme de terror aonde rola sangue, mortes, tiros e etc e dae quando uma pessoa 'canta' isso é descriminado mesmo sendo só um 'entretenimento'?!

Bulldog Fantazma: Um pouco dessa questão eu falei acima, é difícil entender, pois a grande maioria acha legal ver um filme onde as cabeças são arrancadas, onde pessoas são estupradas, onde crianças choram com medo, enfim... e tem outra na minha visão uma novela das 8 onde casais traem, fazem sexo em horario nobre, ou um filme pode trazer muito mais maus fluidos e idéias pro mau do que muita musica, mas quando se trata de musica sempre tem verme “isquerando”, eu acho q como aqui é a terra do samba e dessas coisas todas o povo se acostumou e não conseguem olhar com outros olhos pra entender.... mais uma vez fo****, se eu tiver sempre os fãs q eu tenho eu não quero mais nada, quanto ao resto, dancem sejam felizes encham a cara em forrós e deixem eu no meu canto cuspindo o mal e a verdade.

Vanguarda - Você pratica tais coisas que você cita em suas musicas sendo elas Gangsta ou Horrorcore?

Bulldog Fantazma: Cuspindo o mal e a verdade...Todos nós somos loucos, todos nós, NÃO MINTO EM MINHAS MUSICAS.E tenho muito orgulho disso, meu irmãos de caminhada sabem disso, então pra mim é o q vale.
Aos invejosos, aos imitões, aos mentirosos, não testem minha mente...Ela é muito bem articulada, tanto para o bem quanto para o mau.

Vanguarda - Mesmo sabendo que o mundo Gangsta é um mundo sujo, dificil de viver, um mundo que é pra poucos. Você acha que isso é uma coisa que deve ser passada de pai pra filho mesmo muitos encarando isso como 'cultura'? Exemplo sabemos que um mundo gangsta envolve tiros, drogas, putas e etc você acha certo uma 'criança' ou 'jovem' ir para esse caminho só para manter a 'real? (eu escuto o gangsta rap mais do que outro genero)

Bulldog Fantazma: Não acho certo crianças adquirirem esse gosto pela coisa, porém vai da educação de cada um, é aquilo q eu disse o certo pra uns é o errado pra outros, e não me venham os críticos dizerem que na favela não tem escolha, tem sim, é mais difícil mas depende da pessoa, passar pelos vilões cumprimentaram e irem pro trabalho passando reto, ou pararem assim pegando gosto pelo que parece ser fácil. Não quero que meu filho venda drogas e viva saindo e entrando da cadeia, porém ele vai escutar o EAZY-E no talo ah vai, mas eu já vou saber fazer com que ele entenda e saiba diferenciar as coisas, vivendo de uma maneira normal escutando o GANGSTA RAP.

Vanguarda - Na sua concepção, qual o maior defeito e qualidade do nosso RAP NACIONAL?

Bulldog fantazma: Falta de informação, falta de interesse em conhecer coisas novas pra poder fazer coisas novas, falta divulgação, tem programa de tv que diz abranger o RAP e eu vivo vendo samba e outras porcarias em cima do palco.Aí esta a explicação para alienação do povo ouvinte, eles escutam o que apresentam pra eles.

Vanguarda - Quais as suas influências dentro e fora da música?

Bulldog Fantazma: Muitas irmão, não vou ser hipócrita dizendo q escuto Djavan, Caetano Veloso, e esses artistas todos porque não é da minha índole mentir, tem cara que fala que tem como influencia mpb e na capa do cd aparece com all star, bandana vermelha, em frente a carros da cultura low rider, pura hipocrisia, tudo porque não querem admitir que escutam outros rappers, eu ouço.muito rap desde o mais pop até o mais sangrento, de memphis, muito rap de sacramento, muito horrorcore, mas admiro muito a cultura gótica, grind core, punk rock, gore e muitas outras coisas, mas não escuto e nem admiro coisas do tipo “zéca pagodinho” hahaha.

Vanguarda - Mudando um pouco do contexto, o que o Bulldog Fantazma acha que precisamos fazer para vivermos em um mundo com menos violência?

Bulldog Fantazma: Difícil não sei responder e nem consigo imaginar um mundo sem violência... acho que até seria um pouco sem graça tudo bonitinho colorido sem um pouco de HORROR. Yeah.

Vanguarda - Espaço totalmente livre pra você expor o que quiser, deixar mensagem pra quem admira seu trampo, enfim... Fique a vontade.

Bulldog Fantazma: Aqui quero deixar meu agradecimento a todos os criadores das perguntas, a todos meus irmãos, não vou citar nomes porque da ultima vez me cobraram pelo meu esquecimento, e também queria deixar uma mensagem pra que todos possam refletir, PARA O GALHO DE UMA ARVORE ALCANÇAR O CÉU... AS RAIZES PRECISAM CHEGAR AO INFERNO... procurem olhar as coisas de outra maneira. E PROS MALANDRÃO DE ESTUDIO QUE SÃO PESSOAS HONESTAS NA SEMANA E NO FIM DE SEMANA FALAM Q TÃO BANDIDO VCS TOMEM CUIDADO COMIGO, PORQ EU TACO O FO*****. SEGUNDA FEIRA ROUPA DO TRAMPO E SABADO BANDANA NA CARA FAKE AZZ BITCHES.

AKI É DA NEUROSE V2F MAFIA...




Para baixar Livro de aparições Vol 2, CLIQUE AQUI

Blog do Bulldog Fantazma

Contatos: spiritualgangsta@hotmail.com

Myspace: my space

www.myspace.com/therealbulldogfantazma

www.myspace.com/bulldogfantazma